Defesa de tese de doutorado de Roberto Amadeu Fassarella

Título: Cooperativismo no setor cafeeiro no estado do Espírito Santo, 1950 - 1970
Data de defesa: 24/08/2020
Horário: 14h
Local: sala de reunião virtual

Banca Examinadora:  Rogério Arthmar (Presidente/Orientador – UFES)
Patrícia Maria da Silva Merlo (Coorientadora - UFES)
Sebastião Pimentel Franco (Examinador Interno - UFES)
Kátia Sausen da Motta (Examinador Interno - UFES)
Rafaela Domingos Lago (Examinador Externo - Faculdade Novo Milênio)
Robson Antonio Grassi (Examinador Externo - UFES)

Resumo: A abordagem de um tema sobre o cooperativismo de um setor econômico específico como o café, é buscar conhecimentos sobre o espírito e os ideais do ser humano na busca por cooperação social e econômica. Consiste em encontrar, num coletivo humano, as causas que o levam à agregação e à ação solidária. O café foi, desde o início de sua colonização até o final da década de 1960, o principal produto da economia do estado do Espírito Santo. No final da década de 1950 e durante a década de 1960, a atividade cafeeira e o cooperativismo tiveram  uma relação intensa, com a criação de cooperativa de cafeicultores em todo o estado. O objetivo deste trabalho é o de identificar os fatores que levaram ao movimento de cafeicultores capixabas ao cooperativismo no setor. Considerando que movimentos desse tipo são uma construção histórica e por serem estudados nesta pesquisa o caso do Espírito Santo, num espaço temporal também limitado e para um produto específico, o universo metodológico será o da micro-história. A pesquisa será descritiva por revisão bibliográfica sobre a história do cooperativismo no mundo e no Brasil, com uma construção teórica e doutrinária sobre cooperativismo. Também por revisão bibliográfica e com uma base de dados e informações  foi estudada a história da colonização e da estruturação da cafeicultura no Espírito Santo, de modo a identificar as causas do advento do cooperativismo no café no estado. Os resultados e as conclusões são no sentido de que quatro fatores levaram os agricultores capixabas a um movimento de criação de cooperativas de café. O primeiro foi que se desenvolveu no estado um sistema agroindustrial com excesso de intermediação no setor cafeeiro, que ocasionava baixa remuneração aos cafeicultores, problema que poderia ser solucionado via  cooperativas. O segundo fator está ligado à origem étnica italiana da maioria dos produtores capixabas de café que, em momentos de dificuldades, por atributos culturais são levados a movimentos associacionistas e cooperativistas. O terceiro e quarto fator para o fortalecimento do cooperativismo no setor de café do Espírito Santo foi o apoio da Igreja Católica e o apoio do poder publico estadual e federal.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910